Obra completa de Joseph Conrad para Download

03.12.2019

 

De origem polonesa, Joseph Conrad foi um dos mais importantes romancistas britânicos. Nascido em 1857, em Kiev, cresceu e foi educado na Polonia dominada pela Rússia. Seu pai, um aristocrata empobrecido, escritor e militante armado, fora condenado a trabalhos forçados na Sibéria, atividade que causou sua morte precocemente.

 

Pouco depois, também sua mãe veio a falecer de tuberculose, sendo assim o pequeno Conrad mantido sob a custódia de seus tios.

 

Aos 17 anos, Joseph Conrad ingressou na carreira de marinheiro, profissão que teria influencia direta em sua futura literatura. Serviu em um barco britânico para evitar o serviço militar russo, e aos 21 anos, já dominando a língua inglesa, conseguiu passar no exame de Capitão de Barco, recebendo, também, a cidadania britânica.

 Joseph Conrad

 

Após mais de 20 anos no mar, decidiu se dedicar inteiramente à produção literária, tornando-se um mestre da prosa, criando enredos que bebiam em sua experiência na marinha, e trazendo tragédia e sensibilidade à literatura inglesa de sua época.

Publicou mais de 50 livros, dentre eles “No Coração das Trevas” (1899), “O Negro Narciso” (1897), “Lord Jim” (1900) e “Nostromo” (1904).

 

Com o intuito de compartilhar o trabalho de Conrad, a Universidade de Adelaide, na Austrália, Disponibilizou todos os livros publicados do autor. O conteúdo pode ser baixado em três formatos (Zip, ePub e Kindle), todos em sua língua original.

 

Acesse o acervo clicando AQUI

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.