Clevelândia: Prisão política na Selva Amazônica

30.09.2019

 

Imagine uma colônia penal destinada a prisioneiros políticos, agitadores populares e subversivos que eram submetidos a tortura, trabalhos forçados e uma taxa de mortalidade de 80%.

 

Essa é a Colonia Penal de Clevelândia do Norte, também conhecida como Inferno Verde, criada em 1922, em meio à Floresta Amazônica.


É sobre ela que falaremos hoje.

 

Clevelândia (oiapoque). colônia penal ou campo de concentração?, por Carlos Romani.

http://revistas.pucsp.br/index.php/verve/article/viewFile/4965/3513

 

Envie suas sugestões, críticas e elogios para:

ocaoscultural@gmail.com

 

Curta o podcast e compartilhe com os seus amigos!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.