Hotel Chevalier (2007)

24.08.2019

 

Jack Whitman, um letárgico hospede do hotel Chevalier, permanece despretensiosamente deitado em sua cama quando seu telefone toca.  Do outro lado da linha, um antigo amor pergunta por ele. O abatido sr. Whitman é, então, puxado para a superfície, expondo diversas cicatrizes de um conturbado relacionamento passado que insiste em não ser esquecido.

 

Hotel Chavelier é um curta-metragem franco-americano de drama, escrito e dirigido por Wes Anderson (diretor de O grande Hotel Budapeste), e que conta com a atuação de Jason Schwartzman e Natalie Portman.

 

O filme, criado como prólogo para o longa “The Darjeeling Limited” (Viagem a Darjeeling) envolve o espectador em um drama denso, de atuações primorosas e uma fotografia e paleta de cores incríveis.

 

 

Diretor: Wes Anderson

Roteirista: Wes Anderson

Elenco: Jason Schwartzman, Natalie Portman e Waris Ahluwalia

País: Estados Unidos e França

Língua: Inglês e FranÊs

Lançamento: 26 de Outubro de 2007

Duração: 13 minutos

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.