O Moderno e Mutável Karo Akpokiere

03.12.2018

 


Karo Akpokiere é um artista, designer e ilustrador, nascido em Lagos, na Nigéria, em 1981.

 

seu trabalho se concentra na fusão de experiências e observações obtidas a partir das minúcias da vida cotidiana, com interesse nos aspectos visuais e escritos da cultura popular. Sua arte atravessa a linha entre arte, designe gráfico e desenho, podendo ser social, bem-humorado, ou qualquer outra coisa que queira ser, exibindo-se tanto no papel quanto em móveis, roupas ou mesmo ônibus.

 

Existindo como um constante exercício de autodescoberta, seu trabalho muda à medida que novos interesses e atitudes se formam, sendo marcado pela adoção de uma abordagem espontânea e necessária.

 

Sua arte já foi exposta em diversas exposições, como no 20° festival de Arte Contemporânea Sesc_VideoBrasil, em São Paulo (2017), Ex Africa, CCBB, Brasil (2016), Salão Internacional de Quadrinhos, Erlangen (2016), 56° Bienal de Veneza Worlds Futures (2015), Making Africa (2015), dentre outras.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.