Kobra: Trajetória e Obra (Entrevista)

02.10.2018

 

Eduardo Kobra, nascido na Jardim Martínica, periferia da capital Paulista, é grafiteiro, muralista e um dos artistasde rua mais reconhecidos do mundo.

 

Consagrando-se pelo projeto Muro das Memórias, criado em 2007 em São Paulo, hoje em dia estampa cidades da Inglaterra, França, Estados Unidos, Russia, Grécia, Italia, dentre outras, figurando até mesmo exposições e museus internacionais.

 

As obras do artista ficaram ainda mais em evidência quando, em 2017, foram apagadas pelo então prefeito de São Paulo, João Dória, em pról do movimento “Cidade Limpa”.

 

Abaixo, entrevista produzida pela TVFAP acompanha a história, trajetória e obra de Eduardo Kobra.

 

Veja também, no final da página, uma galeria com algumas obras do muralista.

 

Vídeo:

 

Galeria:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.