• O Caos Cultural

Michel Foucault: Filosofia e Método

"-Não se apaixone pelo poder"

Michel Foucault

Em 1981, Michel Foucault foi convidada a dar uma série de cursos e conferencias na Universidade Católica de Louvain, para os cursos de direito e criminologia. Ao longo desse período, diversas entrevistas e publicações foram feitas, sendo esta uma delas, concedida ao professor André Berton.

Na entrevista, Foucault comenta sobre a função da Filosofia, sobre seu percurso como pensador, seus objetivos e métodos, akém de assumir seu desejo em estudar o problema da guerra e dessa instituição bélica na sociedade.

Foucault é considerado por muitos um dos filósofos essenciais para nossos dias, atravessando temas que vão da loucura e sexualidade até os conflitos decorrentes da ideia de poder.

Entrevista com Michel Foucault na Universidade Católica de Louvain em 1981

(Ative as legendas)

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     

© 2016 por O Caos Cultural.