A Criatividade Vibrante de Yulia Brodskaya

01.07.2018

 

 

Nascida em Moscou, Russia, em 1983, Yulia Brodskaya é uma artista e ilustradora conceituada cuja obra tem como base dois materiais simples - papél e cola - e uma técnica que envolve a composição de imagens com tiras de papel cuidadosamente cortadas e dobradas, criando imagens tridimensionais, exuberantes e  vibrantes.

 

Yulia iniciou sua careeira como designer gráfica e ilustradora, em 2006, mas rápidamente abandonou os programas de computador em favor da arte em papel.  


"O papel sempre me fascinou. Tentei vários métodos e técnicas deferentes de trabalhar com ele, até Eu encontrei o caminho que se tornou 'o único' para mim: agora desenho com papel em vez de sobre ele ".

 

 

 A artista Yulia Brodskaya

 

Com a consolidação de seu estílo único de composição, a artista ganhou reputação internacional, alcançando impressionantes 200 projetos de diferentes clientes em apenas 7 anos, sendo alguns deles nomes famosos como Oprah Winfrey, o Museu de Arte Moderna de São Francisco, Paramount Pictures, dentre outros.

 

 


 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.