Leviatã: nos tentáculos do governo.

29.06.2018

 

Thomas Hobbes, matemático e filósofo britânico, certa vez se utilizou da figura mitológica do Leviatã para definir o Estado: soberano, absoluto, imponente, que retira os homens de sua natureza selvagem e os força a viver em sociedade. 

 

O filme russo de Andrey Zvyagintsev conta a história de Kolya, um homem que perde o sentido de sua existência à medida que é engolido pelos tentáculos do poder local.

 

Leviatã escancara o abuso e a corrupção do governo russo de tal forma que após o lançamento do filme o Ministério da Cultura elaborou um projeto de lei proibindo a distribuição de filmes que "denigram a cultura russa, ameacem a união nacional e minem os princípios da ordem constitucional". Nada adiantou, a qualidade técnica do longa, as ótimas interpretações e a problemática representada conquistaram não do o público russo como o mundial, sendo indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2015.

 

 Assista ao filme AQUI

(Legandas em inglês, espanhol, francês e italiano)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.