O Caos Indica #1

05.06.2018

 O Caos Cultural surgiu por um desejo de divulgação cultural quase ideológico de dois amigos. O site vem crescendo e, a cada post, conseguindo um número maior de leitores, o que parece caminhar para o cumprimento daquele desejo inicial, que deu origem a tudo.

 

Porém, a cada novo leitor, a cada novo compartilhamento e interesse, é necessário expandir o conteúdo, divulgando cada vez mais trabalhos distintos e novas fontes de consumo cultural. Assim, trago aos senhores uma pequena lista de indicações que pode tornar-se uma prática mensal. 

 

Três indicações, cada qual em uma midia diferente, e para começar:

 

1. Escriba Café (Podcast)

 Possuindo, também, artigos e vídeos, o Escriba Café é um podcast histórico produzido de forma impecável e que se faz de maneira dramatizada, 

o que além de envolver o ouvinte de forma espetacular, carrega em si uma originalidade pouco vista na podosfera.

 

Por se tratar de um conteúdo tão bem cuidado e detalhado em sua produção, sua periodicidade é mensal. 

 

ACESSE AQUI

 

 

2. Mallarmargens (Revista)

 No ar desde maio de 2012, a Mallarmargens Revista de Poesia e Arte Contemporânea tem como objetivoaglutinar a diversidade da poesia contemporânea nacional e internacional, criando um espaço de troca de influências e diálogo, além de assegurar visibilidade, facilitando o contato com o meio editorial.


Atualmente com 112 autores fixos e 500 periódicos, a Mallarmargens tem atualizações diárias.

 

ACESSE AQUI

 

 

3. Canal do Getro (Youtube)

 Tendo sido criado como blog pelo publicitário Getro Guimarães, o Canal do Getro é um espaço no Youtube destinado ao cinema, e mais do que isso, ao cinema de Terror.

 

Sem medo de explanar sua verdadeira paixão, os filmes de terror B, trash, etc, Getro te guia de forma estimulante e crítica por esse submundo do terror que é tão pouco explorado pelos críticos de cinema.

 

ACESSE AQUI

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.