Fotos coloridas da Primeira Guerra Mundial

21.03.2018

O autocromo é uma técnica criado pelos irmãos Lumiere, na França, em 1907 e se baseia na criação de um mosaico de grãos microscópicos (na época feitos de fécula de batata) tingidos com as três cores (vermelho, verde e azul) sobre uma placa de vidro coberta de emulsão pancromática. Tal tecnica possibilitava uma foto de aparência colorida.


Graças a técnica foi possível registrar momentos de um ano muito sangrento, 1917, penúltimo ano da Primeira Guerra Mundial, quando as ofensivas alemãs concentravam-se contra a França e a Inglaterra.


Abaixo, 11 fotos coloridas do período.


(Lembrando que a qualidade das fotos indica que estas foram imagens posadas, pois pela técnica do autocromo exige um período de exposição longo, fotos em ação teriam resultados muito borrados).

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.