O Clássico Sincrético de César Santos

05.03.2018

 

Cesar Santos, cubano nascido em 1982 é um artista contemporâneo, pintor e conhecido pelo "syncretism", termo criado por este, em 2011, para descrever suas pinturas que apresentam duas ou mais tendências artísticas em equilíbrio estético.
Tendo crescido em Santa Clara, Cuba, César era apaixonado por boxe quando criança, tendo competido em diversos torneios municipais. Porém, pouco depois descobriu a arte, graças à influencia de seu tio, Raul Santos Zerpa, um famoso pintor cubano da década de 60.


Ao migrar para os Estados Unidos em 1995, estudou design e arquitetura, se matriculando posteriormente no curso de Artes da Faculdade Miame Dade. Lá não se limitou à arte visual, tendo também estudado artes cênicas, atuando em peças e programas de televisão.


Todavia, incomodado com a atmosfera modernista da faculdade, viajou para a Itália, buscando aprender conceitos mais clássicos de pintura. A viagem o levou a Florença onde se juntou Angel Academy of Arts, iniciando seus estudos nas técnicas e métodos do século 18, da Renascença, e dos ateliês franceses do século 18.


Formou-se em 2006, porém ainda não havia encontrado o estilo de sua arte. Após um período morando em Estocolmo e se mantendo como professor, voltou aos Estados Unidos, indo viver em Nova Iorque quando, então, passa a trabalhar o Sincretismo, sendo percebido e aclamado pela crítica. Suas obras misturavam imagens icônicas de Pollock, Calder, Picasso, entre outros.


"O sincretismo é uma visão filosófica que pretende conciliar diferentes doutrinas, um mecanismo social que atenua o confronto entre tendências antagônicas que competem pelo mesmo espaço"

 
O trabalho de Santos incorpora  interpretações clássicas e modernas unidas na mesma tela, refletindo a influência Renascentista e Contemporânea em sua arte.  O Fórum MDC escreveu sobre seu trabalho que "em uma época em que a técnica é muitas vezes uma reflexão tardia, Cesar Santos é um mestre moderno que combina evocativamente o clássico e o contemporâneo em suas pinturas"


Para Santos, "o objetivo de seu trabalho sincrético é estabelecer um novo domínio, com suas próprias características definidas, como qualquer outro processo legítimo de evolução, ganhando posições nos estágios precedentes até a assimilação das tendências opostas se expressarem como uma entidade recém-nascida e unificada."


Enquanto inicialmente a maior parte de sua produção era sobre vida e morte, os seres humanos e a forma de vida se tornaram o foco de seu trabalho nos últimos anos de sua carreira, retratados por sua série Syncretism.


César Santos continua sua produção, e possui um canal no Youtube, onde dentre tantos vídeos, mostra detalhadamente seu processo criativo.


Veja, abaixo, uma galeria de imagens do artista cuba, assim como o link para seu canal.

 

 

My Secrets of Figure Drawing - César Santos

 

Para acessar o canal no youtube, clique AQUI.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.