5 curtas de diretores famosos

23.01.2018

 

Pouco orçamento, câmeras baratas e a participação de amigos como atores. Todos os grandes nomes do cinema internacional já tiveram que enfrentar essas condições no início de suas carreiras.

 

Assim, trazemos 5 curta-metragens de diretores consagrados quando estes ainda buscavam consolidar as bases de sua formação como criadores.

 

My best friend’s birthday – Quentin Tarantino

 

 

O curta conta a história de Mickey Burnett (Craig Hamann, que co-assina o filme), um homem fracassado que acabou de ser abandonado pela namorada. Clarence Pool (Tarantino), tentando não deixar que o aniversário de seu amigo seja um desastre, resolve bancar uma festa contratando garotas de programa.

 

O filme foi lançado 5 anos antes de Cães de Aluguel , em 1987 quando o diretor tinha apenas 24 anos de idade.

 

A obra sobreviveu a um incêndio no armazém onde permanecia guardada, perdendo alguns minutos de duração. Portanto, os 36 minutos disponíveis não correspondem à totalidade do curta.

 

 

The Big Shave - Martin Scorsese

 

 

O filme foi lançado em 1937, quando Scorsese tinha apenas 25 anos de idade, e exibe a calmaria de um homem que, após se barbear, se mutila, friamente. Críticas posteriores caracterizam a obra como uma representação do comportamento americano durante a Guerra do Vietnam, que completava 12 anos.

 

 

Doodlebug - Christopher Nolan

 

 

O curta de 3 minutos foi rodado por Nolan enquanto ainda estudava literatura inglesa na University College London. O filme nos coloca como observadores de uma perseguição que acontece no interior do apartamento do protagonista.

 

 

Six Men Getting Sick - David Lynch

 

 

Lynch, com 21 anos e ainda estudante na Academia de Belas Artes da Pensilvânia, dirigiu esse curta-animado experimental onde 6 pessoas vomitam  ao som de uma sirene em loop. A forma abstrata deu base a sua carreira.

 

 

Day of the Fight - Stanley Kubrick

 

 

Narrador onisciente acompanha e relata um dia na vida de Walter Cartier, boxeador que busca a vitória em sua 35ª luta. O filme foi rodado em 1951, quando Kubrick possuia apenas 23 anos, e teve um custo total de $3.900.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.