"Chorus 113" - De Kerouac por Depp

19.12.2017

 

 

No vídeo, o ator norte americano Johnny Depp declama trechos do Chorus 113 presente no poema "Mexico City Blues" do escritor beat Jack Kerouac.

 

 

Leia o trecho completo:

 

"Got up and dressed up
      and went out & got laid
Then died and got buried
      in a coffin in the grave, 
Man—
      Yet everything is perfect,
Because it is empty, 
Because it is perfect
      with emptiness, 
Because it’s not even happening.

 

Everything
Is Ignorant of its own emptiness—
Anger
Doesn’t like to be reminded of fits—

 

You start with the Teaching
      Inscrutable of the Diamond
And end with it, your goal
      is your startingplace, 
No race was run, no walk
      of prophetic toenails
Across Arabies of hot
      meaning—you just
      numbly don’t get there"

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     
Please reload

© 2016 por O Caos Cultural.