• O Caos Cultural

A Realidade Perturbadora de Almargen


O quão aterrorizante pode ser a nossa realidade? Quão estranho é, visto de perto, nosso cotidiano? Como somos afetados pela liquidez de nosso tempo? Pelas forças que conduzem nossa sociedade?

Matias Almargen, artísta argentino, se utiliza de uma visão crítica e bem peculiar para representar, de maneira poderosa, facetas singulares de nossa existência.

Abaixo algumas imagens do artista.

RESSURECTIONE

POR LUIZ PIEROTTI

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS recentes:     

© 2016 por O Caos Cultural.