30 Jul 2019

Um dos grandes questionamentos que me faço sobre literatura e seu consumo no Brasil é quanto ao pequeno contato que os leitores tupiniquins têm de obras latino-americanas.

Não que não haja leitores interessados nas obras de nossos hermanos, porém é perceptível que, para...

17 May 2019

Há alguns dias, aqui no Caos Cultural, um post foi publicado sobre a incrível arte do escultor taiwanês Han Hsu-Tung. Suas imagens feitas de madeira parecem mesclar figuras orgânicas com tecnologia digital, em estruturas que se dissolvem em pixels flutuantes. 

Dura...

16 Jun 2018

Dramaturgo, poeta e encenador, Bertold Brecht (Augsburg, 10 de fevereiro de 1898 — Berlim Leste, 15 de agosto de 1956) foi um artista mundialmente conhecido, cujas obras e teorias influenciaram profundamente o teatro contemporâneo.

Marxista e inserido em um periodo de i...

29 May 2018

Representações misteriosas e realistas da solidão contemporânea refletem sua visão peculiar sobre a vida moderna americana, essa é a base de criação de Edward Hopper, pintor, artista gráfico e ilustrador norte americano.

Nascido em Nova Iorque em 1882, Hopper estudou de...

28 Oct 2017

Robert Banks, Robin Gunningham ou mesmo Robert Del Naja, pouco se sabe sobre a real identidade do artista de rua britânico conhecido popularmente como Banksy.


Nascido entre 1974 e 1975, é pintor de graffiti, tela, ativista político e diretor de cinema britânico, sua ar...

Please reload

OT72GE7TVWWD333IV5NELULJ3I.jpg

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS centes:      
Please reload

Feed do Instagram

© 2016 por O Caos Cultural.