5 Nov 2018

"Este ensaio pressupõe que a expressão máxima da soberania reside, em grande medida, no poder e na capacidade de ditar quem pode viver e quem deve morrer. Por isso, matar ou deixar viver constituem os limites da soberania, seus atributos fundamentais. Exercitar a sober...

2 Dec 2017

Estresse. Depressão. Ansiedade. Falta de tempo. Infelicidade.Quantos substântivos podem colaborar com a definição da angústia moderna? 

É lugar comum discutir a falta de perspectivas atual, a insatisfação com o trabalho e a pressão aturada por aqueles que vivem em meio...

21 Sep 2017

Se pensarmos em um escritor sem meios termos, com certeza este seria Álvares de Azevedo. Autor de obras tão marcantes como Macário, Noite na Taverna e Lira dos Vinte anos, o jovem poeta paulistano parece projetar uma imagem fantástica  de desmesura poética, quer por cu...

Please reload

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS centes:      
Please reload

Feed do Instagram

caoscultural4.png

ouça o podcast

do caos cultural

Sem título.jpg

apoie um projeto:

contos clássicos de fantasma

© 2016 por O Caos Cultural.