8 Mar 2019


Murilo Mendes (1901 – 1975), foi um poeta e prosador brasileiro nascido em Juiz de Fora, MG. Lançou seu primeiro livro, Poemas, em 1930, bastante influenciado pelo Movimento Modernista. Tornou-se um expoente do surrealismo na literatura brasileira, deixando entrever t...

23 Jan 2019


É uma daquelas histórias que, à primeira vista, só teriam alguma chance de acontecer em narrativa esquisita de algum Villa-Matas ou Roberto Bolaño. Coisa com a qual o leitor se depara, com uma pulga atrás da orelha, botando um pé do entendimento na ficção para não fic...

11 Jan 2019

Georg Trakl nasceu na cidade austríaca de Salzburg, no ano de 1887, onde viveu até os 21 anos. Foi um estudante medíocre: teve problemas com latim, grego e matemática a ponto de ser reprovado um ano e largar a escola sem o diploma do secundário. Sua mãe, viciada em dro...

25 Jun 2017

 Estrela

(Vladímir Maiakóvski)

Escutai! Se as estrelas se acendem

será porque alguém precisa delas?

Porque alguém as quer lá em cima?

Será que alguém por elas clama,

por essas cuspedelas de pérolas?

Ei-lo aqui, pois, sufocado, ao meio-dia,

no coração dos turbilhões de poeira,

e...

15 Jun 2017

Se Os Tubarões Fossem Homens
(Bertold Brecht)
  

Se os tubarões fossem homens, eles fariam construir resistentes caixas do mar
Para os peixes pequenos com todos os tipos de alimentos dentro
Tanto vegetais, quanto animais

Eles cuidariam para que as caixas tivessem...

Please reload

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS centes:      
Please reload

Feed do Instagram

caoscultural4.png

ouça o podcast

do caos cultural

Sem título.jpg

apoie um projeto:

contos clássicos de fantasma

© 2016 por O Caos Cultural.