11 Apr 2019

Há, por vezes, jovens geniais que parecem vir à Terra com um único motivo: causar inveja aos demais habitantes locais. Isaac Newton, Wolfgang Amadeus Mozart, Maria Gaetana Agnesi, dentre outras personalidades que – ainda crianças – já mantinham uma produção sólida e pr...

Franz Kafka é um desses autores que com perspicácia e uma certa ironia demonstra as diversas inconsistências do mundo contemporâneo e como estamos perdidos dentro dele. Durante diálogos com amigos ele  revelou parte da sua visão ao falar que "há esperança suficiente, e...

27 Mar 2019

Nascida em 14 de março de 1914, Carolina Maria de Jesus foi uma das primeiras e mais importantes escritoras brasileiras. Representava uma parcela muito oprimida da sociedade: era negra, favelada e trabalhava como catadora de papéis.

Em vida, publicou 4 livros, Casa de D...

16 Mar 2019

Roberto Bolaño (1953 – 2003) é considerado um dos maiores autores latino-americanos contemporâneos. Foi romancista, contista, ensaísta e poeta. Morou no México durante a adolescência e voltou ao Chile, seu país natal, pouco antes do golpe sobre Salvador Allende. Exilad...

8 Mar 2019


Murilo Mendes (1901 – 1975), foi um poeta e prosador brasileiro nascido em Juiz de Fora, MG. Lançou seu primeiro livro, Poemas, em 1930, bastante influenciado pelo Movimento Modernista. Tornou-se um expoente do surrealismo na literatura brasileira, deixando entrever t...

Please reload

 

Em meio à festa, à dança. à diversão: o tempo passa.
Em meio ao trabalho, o relatório, o feedback: o tempo passa.

Durante o domingo, durante o sexo, durante a partida de futebol e a risada pós piada, cada segundo passa, escorrendo pelo rastro de tantos outros segundos perdidos, de tantas outras ideias esquecidas, de tantos outros desejos abandonados.

Se uma ideia não realizada é uma ideia inexistente, então também cada palavra não proclamada é um pensamento inexistente. Cada plano abandonado uma rendição prévia. E a cada tópico anteriormente citado, uma inexistência de parte do que nos constitui.

Totentanz é a recordação do tempo constante, é a observação do tudo no agora.

É a busca, mesmo que sempre busca, da observação do caos em sua plenitude.

O Manifesto não busca a individualidade, nem a remediação do singular. 

Pretende a busca da identificação exterior do sujeito de Rimbaud. O continente humano de John Donne. A celebração de Whitman. A razão de Hamlet. O tempo: Chronos e Kairós.

   MANIFESTo TOTENTANZ    

     POSTS centes:      
Please reload

Feed do Instagram

caoscultural4.png

ouça o podcast

do caos cultural

Sem título.jpg

apoie um projeto:

contos clássicos de fantasma

© 2016 por O Caos Cultural.